Verão e o cuidado com as crianças em piscinas

Hoje separei um tema extremamente delicado e bastante pertinente nesta época do ano: o cuidado com as crianças em piscinas! Segundo a Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático (Sobrasa), as piscinas são responsáveis por 53% de todos os óbitos por afogamento nas crianças entre 1 e 9 anos de idade. Trata-se de uma realidade assustadora, que pode ser modificada a partir da maior conscientização da população para as medidas preventivas. De acordo com a Sobrasa, com apenas 5 atitudes é possível fornecer mais de 95% de segurança contra afogamentos em piscinas:

– Atenção 100% no seu filho. Mantenha a distância de um braço, mesmo na presença de um guarda-vidas.

– O guarda-vidas deve ser certificado por entidade reconhecida pela Sobrasa para cada piscina, devidamente equipado com flutuador de resgate, ou um professor de natação com treinamento em emergências aquáticas durante o horário de aula (não se aplica a piscinas residenciais).

– Aprenda como agir em emergências aquáticas. O uso de cilindro de oxigênio é restrito ao guarda-vidas. Deve estar em local visível e à disposição na área da piscina.

– O acesso à piscina deve ser restrito com uso de grades ou cercas transparentes, com portões autotravantes a uma altura que impeça crianças de entrar no recinto da piscina sem um adulto.

– A sucção de cabelo e partes do corpo deve ser evitada com uso de ralos antiaprisionamento e precauções de desligamento do funcionamento da bomba.

Comments are closed.